Ao encontrar o modelo certo, não há quem resista a um bom vibrador. A Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme) mostra que, em 2016, diferentes tipos de vibradores eram o quinto brinquedo sexual favorito das mulheres brasileiras.

Esse encanto vem de longa data. O brinquedo, que pode até parecer muito moderno para algumas pessoas, na verdade, tem uma história antiga: foi criado no século 19 por um médico inglês. Era uma época de profunda repressão sexual, especialmente para as mulheres.

Nesse contexto tão conservador, a insatisfação sexual feminina era a regra, e acreditava-se que as mulheres não eram capazes de sentir desejo sexual. Obviamente, sempre foram. A repressão prolongada levava a sintomas diversos, como dores de cabeça, insônia e irritação.

Os médicos chamavam esse conjunto de sintomas de histeria (do grego “hystéria”, que quer dizer “útero”), e resolveram a “doença” aplicando massagens no clitóris das pacientes. Com o passar do tempo e com o surgimento do vibrador, a tarefa deixou de ser manual.

Hoje em dia, os vibradores já não são a “cura” para nada — até porque, sabemos que não há o que precise ser “curado”. Eles são uma forma de aumentar o prazer de homens e mulheres, e podem ser adquiridos de várias formas. Quer saber quais são? Nós contamos abaixo!

Quais são os tipos de vibradores?

Se, ao pensar em vibradores, ainda vem à sua mente um objeto fálico claramente em forma de pênis, você se engana! Claro, esses modelos existem, sim, mas não são os únicos, como falamos no nosso guia para escolher um vibrador. Descubra o que existe no mercado:

Vibradores para estimulação

Pequenos, discretos, versáteis — alguns diriam que até fofos — esses são os vibradores bullet. Geralmente com um formato arredondado, eles são ideais para a estimulação clitoriana.

Por serem menores, não são indicados para penetração. Basta posicioná-los no clitóris ou na área ao redor dele e movimentá-lo com a mão, ou deixá-lo “fazer o trabalho” sozinho, apenas com a vibração. Também pode ser utilizado para estimulação ao redor do ânus, no caso de homens e mulheres (e, claro, ser usado onde mais sua imaginação levar, desde que seja com segurança!).

Há modelos em faixas de preço muito variadas — de menos de R$ 10 a até acima de R$ 1.000. Esse preço varia segundo uma série de fatores: há modelos movidos a pilha, outros, a bateria; há opções com uma única vibração e outras com diferentes intensidades; há alguns que vêm com controle remoto wireless (sem fio) e aqueles cujo controle é conectado por um cabo ao vibrador.

A opção com controle wireless é interessante para casais, já que uma das pessoas pode controlar a vibração do bullet com o controle enquanto a outra utiliza o aparelhinho. Para quem quer uma dose ainda maior de tecnologia e prazer a distância, há modelos controlados a partir de um aplicativo: basta instalar um app no celular para controlar o vibrador a partir dele.

Vibradores para penetração

Neste grupo, estão os vibradores com o formato mais conhecido pelo imaginário popular: as próteses vibratórias. Com um formato bem similar ao de um pênis, trazem cores variadas e podem incluir veias e até uma reprodução de testículos.

Claro, podem ser utilizados por uma só pessoa ou por um casal. Para quem deseja prazer a dois com os brinquedos, há também a opção com ponta dupla (“com vibro”, para indicar aquelas que vibram), em que duas próteses ficam conectadas uma à outra. Essa opção pode incluir dois controles remotos.

Mas nem todo mundo quer um aparelho tão parecido com a anatomia humana. Nesse caso, os modelos personal são os ideais. Eles mantêm o formato fálico, mas são mais discretos e parecem com meros cilindros. Podem ter várias texturas e cores.

E qual o melhor tamanho? Isso varia segundo o gosto de cada um. Pode haver pessoas que achem um vibrador de 10 cm muito grande, enquanto outras podem desejar um maior que 20 cm. Não existe tamanho “normal” — o prazer de quem usa é a única coisa que importa!

Para quem nunca utilizou um aparelho e não sabe bem de qual gostaria mais, é interessante optar pelos mais vendidos, na faixa dos 14 aos 16 cm.

Vibradores para dupla estimulação

Não é necessário escolher entre penetrar ou estimular. É possível ter os dois ao mesmo tempo com os vibradores para dupla estimulação! Em geral, você vai encontrá-los ao pesquisar por “rotativo”.

Ao mesmo tempo em que a ponta mais longa deles é ideal para penetrar, uma estrutura menor presa a eles estimula o clitóris ao rotacionar.

Outro modelo, em formato de “U”, permite dupla estimulação mesmo sem rotação. Com esse tipo de vibrador, é possível introduzir o pênis junto a uma das pontas do aparelho, ao mesmo tempo em que a outra fica próxima ao clitóris.

Quais as melhores dicas para utilizar vibradores?

O prazer fica ainda mais intenso com algumas dicas para utilizar os vibradores:

  1. A imaginação é o limite para o uso dos vibradores! Eles podem ser utilizados na parte do corpo que a pessoa preferir, mas com cautela: inserir um bullet no ânus, por exemplo, pode ser um mau caminho, já que o aparelho costuma ser bem pequeno e não ter uma base longa pela qual possa ser segurado;

  2. A lubrificação à base de água é a melhor amiga dos vibradores para penetração. Um bom lubrificante torna a experiência mais confortável;

  3. Quem se preocupa com o barulho que o vibrador faz pode relaxar: há modelos mais silenciosos, basta checar essa informação na descrição do produto;

  4. Quem se pergunta “E se acharem o brinquedo?” também pode se tranquilizar. A solução mais fácil é guardá-lo em um estojinho discreto ou preferir um vibrador com “menos cara de brinquedo erótico”, como o bullet;

  5. E na hora de usar com alguém? Se o parceiro sexual não topar, é melhor não insistir, afinal, sexo precisa ser sinônimo de consentimento em todos os sentidos. A dica é sugerir a utilização antes, principalmente em alguma data especial para o casal;

  6. Atenção ao material: eles podem ser de plastisol, silicone (bem fácil de limpar) ou simular a pele humana de forma mais realista, feitos em cyberskin (que exige higienização com talco, para manter a textura preservada);

  7. Por falar em higienização, ela é essencial! Água e sabão costumam dar conta do recado, mas você descobre detalhes sobre a limpeza dos brinquedos em um post completo;

  8. Caso seja utilizado em mais de uma região — vagina e ânus — o vibrador precisa ser bem limpo antes de passar de uma a outra, ou ser utilizado com preservativos!

Achou interessante descobrir quais são os tipos de vibradores? Se quiser saber mais detalhes sobre cada produto e sobre revendas de produtos sensuais, entre em contato conosco! E nunca se esqueça: viva com prazer!

[uam_ad id=”736″]