Mais bem-resolvidas com o corpo e mais experientes, as mulheres 40+ sabem exatamente do que gostam e usam isso ao seu favor.

Cada fase da vida tem seus prós e contras e cabe a nós mulheres, aprendermos e tirarmos o melhor proveito disso. Quando crianças, “odiamos” ter namoradinh@s. Depois, nosso interesse é conquistá-las. À medida que crescemos, fazemos novas descobertas em busca do prazer e nossa vida sexual amadurece junto com o corpo. Seguido à maternidade, entramos no período da menopausa – e aí começam os questionamentos e a reaprendizagem sobre como lidar com a vida sexual depois dos 40 anos.

São os hormônios!

Todo mundo já ouviu – ou já usou – a expressão “são os hormônios” para justificar ou ironizar alguma situação. Acontece que, diferente dos homens, nós mulheres sofremos grandes alterações hormonais ao longo da vida e isso acarreta grandes mudanças biológicas que via de regra impactam em nossa sexualidade.

Até os 25 anos de idade temos nosso corpo em constante formação. Saímos de um corpo infantil para um corpo de uma mulher. É um período de adaptação e descoberta e nós vamos gradativamente entendendo como reagir a cada estímulo.

Entre os 25 e 35 anos, a mulher começa a sentir a necessidade de viver a maternidade – e além disso, normalmente passa por um processo de experimentação ao dividir um teto com outro alguém.

Na fase entre 35 e 45 anos, começa a queda lenta e gradual dos níveis de hormônios sexuais que culminam com o fim do ciclo menstrual e a capacidade de reprodução. Nesse período, é relativamente comum uma perda grande da libido.

As transformações físicas também se intensificam: surgem as primeiras rugas e cabelos brancos. Mas é importante que a mulher entenda que isso não tira o seu poder de sedução e ela pode sim fazer com que o seu corpo responda de forma sensual ao parceiro ou parceira.

A tal da “Meno”

O início da menopausa varia muito de mulher para mulher, mas normalmente se dá entre os 45 e 55 anos: calores alterações hormonais e questionamento psicológico se iniciam, no entanto, é imprescindível que as mulheres entendam que essas mudanças só comprometem a sexualidade feminina quando a mulher deixa de buscar orientação física ou emocional.

Enquanto a menopausa pode trazer alguns desconfortos no aspecto sexual, a maturidade pode acarretar coisas boas. Com o passar do tempo, a tendência é que a mulher chegue ao prazer mais rapidamente.

Especialmente nessa fase após os 55 anos, a mulher tem um entendimento maior do próprio corpo, o que a permite ter melhores experimentações sexuais sozinhas ou com @ parceir@.

Sexo não é “coisa de jovem”

Ou seja, a ideia aqui é desmistificar que sexo “é coisa para jovem”; e só esse grupo pode sentir prazer. Há vários especialistas que afirmam que a vida sexual pode ser prolongada por muitos anos, daí advém a importância de falar sobre sexualidade desde a infância e adolescência. As mulheres precisam estar melhor preparadas para enfrentar todas as transformações ao longo da vida e de sua jornada sexual.

Por exemplo, após os 40, as mulheres sentem-se muito mais à vontade a respeito de seus corpos e seu poder de sedução – o que pode tornar mais frequente a prática de jogos eróticos e fantasias; e utilização de brinquedos sexuais. Afinal, brincar também faz bem aos adultos.

Em outras palavras, no início da idade madura a mulher já praticou o suficiente para abolir preocupações relacionadas ao seu desempenho sexual ou d@ parceir@. A atração física não está atrelada a conceitos de beleza inatingíveis, pois a mulher se dá conta de que é desejada por ser exatamente como é.

Há vários relatos de que mulheres na meia-idade tem uma vida sexual superior a mulheres que estão na faixa dos 20 ou 30 anos. A vida sexual após os 40 pode ser melhor porque muitas vezes as mulheres se encontram bem posicionadas financeiramente nessa faixa etária e aproveitam para cuidar do físico e da mente.

É importante lembrar que atividades físicas impactam e auxiliam diretamente no desempenho sexual, estimulando a produção de hormônios como adrenalina, testosterona, estradiol, endorfina e serotonina.

O envelhecimento precisa ser normalizado!

A celebração do próprio corpo após os 40 não deve ser considerada um obstáculo. A vida sexual após os 40, MUITO MENOS! Ainda que sejamos frequentemente impactados por imagens de jovens com corpos esculturais diariamente, é inevitável e biologicamente previsto que o processo de envelhecimento se acentue a partir dos 25 anos.

Portanto, o medo de envelhecer faz com que muitas mulheres invistam desde cedo em cosméticos e procedimentos estéticos muitas vezes invasivos e prejudiciais à saúde. Logo, a maturidade entra como um divisor de águas; e as noções de prazer e intimidade sexual se alteram; fazendo com que a vergonha deixe de ser um fator limitante para novas experiências.

Sobre o Autor

Waleviska é empreendedora e proprietária da empresa DSS Distribuidora Sex Shop. Além disso, acredita que quanto mais se fala sobre sexo, mais tabus e dúvidas vão sendo desconstruídos. Pretende ter uma ligação direta com todas as leitoras que queiram entender mais sobre o mundo do prazer.

Visualizar Artigos