8 de Março, Dia Internacional das Mulheres e o espaço conquistado pelas trans.

Atualmente, as estimativas sugerem que de 0.2 a 0.3% da população mundial é transgênera. Pessoas redesignadas sexualmente ainda conquistam lentamente seus direitos comuns de cidadãs, principalmente, a mulher trans. 

Um bom exemplo é o preconceito que assombra as mulheres trans, vindo normalmente de mulheres “cis” ou “cisgênero” – pessoa que se identifica com o gênero de  nascimento -, quando elas dizem que “mulheres trans não são mulheres”. 

Para entender melhor o porquê mulheres trans merecem comemorar o Dia Internacional da Mulher, como todas as mulheres cis, continue lendo o texto!

A vivência real 

Assim como boa parte de todas as mulheres, as mulheres trans são feministas e têm uma vivência muito real de como é “ser mulher” na sociedade. Elas lutam contra o sexismo, a transfobia e a marginalização.

Vejamos o Brasil, que é o país onde mais se mata pessoas trans no mundo, 90% se encontram na prostituição por falta de oportunidades e a expectativa de vida é de cerca de 35 anos.

Hipocrisia genética 

Quem afirma que “mulheres trans não são mulheres” muitas vezes partem de suposições biológicas e incorretas. Não é possível averiguar facilmente os cromossomos sexuais de ninguém e quase ninguém  realiza exames para conferir quais são seus cromossomos sexuais. Os que se submetem a esses exames acabam surpresos com o resultado.

A capacidade reprodutiva também é um argumento inválido ao se considerar que algumas mulheres cisgênero nunca menstruam e/ou são incapazes de engravidar.

Apontar a genitália para afirmar que uma mulher trans é realmente uma mulher é igualmente problemático. Os homens sexistas reduzem uma mulher ao que se encontra entre suas pernas há séculos! 

Reconhecimento no Senado 

Em 2019, o Senado aprovou um projeto que incluía mulheres trans na Lei Maria da Penha. A proposta altera um artigo da lei incluindo o termo “identidade de gênero”, onde diz que “toda mulher, independentemente de classe, raça, etnia, orientação sexual, renda, cultura, nível educacional, idade e religião” não pode sofrer violência.

Esta foi uma vitória das mulheres trans!

Reconhecimento na Polícia Civil 

Logo depois, a Corregedoria-Geral da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) incluiu mulheres trans nos protocolos de apuração de feminicídio. A mudança prevê a inclusão da perspectiva de gênero em todas as delegacias de polícia do DF e define quais ações devem ser tomadas, inclusive, com todas as mulheres transgêneras.

Mais uma conquista recente das mulheres trans!

Outros Porquês… 

Somente pelo fato da mulher trans conseguir sobreviver em um país onde os casos de violência contra pessoas trans aumentou 17% em 2020, ela já merece comemorar o Dia Internacional da Mulher. Por ser guerreira, o que nos faz lembrar do verdadeiro significado da data 8 de março. 

Mas, principalmente, por terem que lutar por cada mínimo direito e espaço social. 

Essa luta das mulheres trans aproxima todas elas ainda mais da feminilidade. Que, ao contrário do que muitos pensam, é sinônimo de fortaleza. A mulher brasileira luta todos os dias contra o preconceito, contra a desigualdade, contra a violência. E as mulheres trans compartilham respeitosamente dessa luta. 

Portanto, a DSS deseja a todas as mulheres trans um Feliz Dia das Mulheres! Que vocês tenham um mês de março incrível, compatível com suas histórias de fé e coragem.