Infecção vaginal é mais normal do que você imagina! 

Muitas mulheres ainda acreditam que a infecção vaginal é um bicho de sete cabeças e o sinônimo de falta de higiene. Mas, isso não é verdade!

De acordo com a Dra. Lara Moreno, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da USP, 50% das consultas ao ginecologista são com a intenção de tratar infecções vaginais.

Ao mesmo tempo, nos Estados Unidos, esse tipo de infecção é uma das razões mais comuns da ida das mulheres ao médico.

Mulher sendo atendida por uma ginecologista. Ela está olhando pra baixo com a mão na região dos rins mostrando onde está a dor possivelmente causada por alguma infecção vaginal

Entretanto, o que muitos não sabem, é que esse problema pode ocasionar impactos tanto em níveis físicos quanto sexuais e emocionais.

O que causa uma infecção vaginal?

A infecção acontece quando a flora vaginal da mulher é afetada por alguma bactéria ou fungo.

A candidíase, em especial, pode surgir em caso de alterações do pH vaginal e da flora bacteriana. Isso se dá devido a baixa imunidade ou até mesmo picos de estresse e desequilíbrios emocionais.

Mulher triste olhando pra baixo com as mãos na cabeça

Veja abaixo algumas causas comuns:

1. Redução de acidez (aumento do pH) na vagina

Ao mesmo tempo em que ocorre a redução de acidez na vagina, o número de bactérias protetoras que vivem no canal vaginal também diminui. Por outro lado, aumenta o número de bactérias que causam infecção.

2. Roupas íntimas apertadas e sem absorção

Ao passo que usamos calcinhas apertadas e com materiais que deixam a vulva sem respirar e retendo umidade, as bactérias e fungos começam a crescer.

Uma solução é utilizar calcinhas leves e de algodão, eleito como o melhor material para ter contato com sua pepeca!

Cinco mulheres com corpos e cabelos diferentes de costas usando calcinha e sutiã de algodão para prevenir infecções vaginais

Saiba a diferença entre vulva e vagina!

3. Falta de higiene

Em primeiro lugar, entenda que essa não é a causa mais comum de infecção! Porém, quando a área genital não é limpada corretamente, o resultado é o aumento de bactérias.

4. Irritações

Você sabia que até mesmo a irritação dos tecidos vaginais pode resultar em feridas ou rachaduras que deixam o caminho aberto para os fungos e bactérias na corrente sanguínea? Pois é, essa pode ser mais uma causa de infecção vaginal!

Conheça os principais sintomas

Antes de mais nada, é importante saber que os sintomas variam de acordo com o agente causador. Além disso, eles podem aparecer de forma isolada ou ao mesmo tempo, o que torna comum a mulher apresentar pelo menos 2 deles.

Veja exemplos dos sintomas mais comuns:

  • Dor ou ardência na hora de urinar
  • Coceira na região íntima
  • Dor durante a penetração
  • Corrimento com mal cheiro ou sem (entenda a diferença entre corrimento e o muco)
  • Dor no baixo ventre
  • Vermelhidão na região
  • Feridas, verrugas ou úlceras na região íntima

Desde já, lembre-se de que esses sintomas não indicam necessariamente uma infecção. Em contrapartida, podem ser resultado do uso de produtos que, de alguma forma, irritaram a vagina. Como por exemplo, produtos de higiene e até mesmo o amaciante usado na roupa.

Mulher de saia com as duas mãos na frente de seu órgão genital demonstrando incômodo devido a alguma infecção vaginal

Nesse sentido, o melhor jeito de saber a razão desses sintomas é indo ao ginecologista. Assim, ele vai avaliar, solicitar exames e receitar algum medicamento se for preciso.

Conheça as infecções vaginais mais comuns

Você com certeza conhece ou já ouviu falar nessas três infecções que “fazem parte” da vida de toda mulher.

1. Candidíase

Esta infecção vaginal acontece principalmente devido à baixa imunidade e desequilíbrios emocionais, como citado acima.

Ela é causada pelo fungo Candida albicans, organismo que vive naturalmente na flora vaginal. Porém, quando acontece um desequilíbrio no funcionamento do organismo, ele acaba se proliferando mais do que o normal, resultando em uma infecção vaginal.

Quando ela ocorre mais de quatro vezes em um ano, é considerada candidíase de repetição ou recorrente.

Dessa forma, seus sintomas podem ser: coceira vaginal, corrimento branco e espesso, ardência, incômodo na região, entre outros.

Mas, fique tranquila, a candidíase não é uma infecção sexualmente transmissível e a outra pessoa não precisa de tratamento. Por outro lado, em relações heterossexuais, o sêmen pode contribuir para o desequilíbrio do pH e piorar o quadro.

2. Vaginose Bacteriana

Você sabia que essa é a principal infecção entre as mulheres na idade reprodutiva?

Isso quer dizer que as alterações hormonais durante a gestação ou antes e durante a menstruação, assim como o sêmen, espermicidas e uso constante de duchas, podem reduzir a acidez da vagina.

Deste modo, o número de bactérias aumenta e resulta em uma infecção vaginal.

O principal sintoma da vaginose é o odor forte e desagradável, que pode piorar durante a menstruação ou durante as relações sexuais.

3. Tricomoníase

Essa infecção vaginal sim é considerada uma DST (doença sexualmente transmissível), ou seja, a transmissão pode acontecer por meio de relações ou contato sexual.

Neste caso, os sinais mais comuns são: coceira vaginal, corrimento de cor amarelo-esverdeado, vermelhidão e dor ou ardência na hora de urinar.

Veja também: Saiba quais são as 5 Infecções Sexualmente Transmissíveis mais comuns

Infecção vaginal tem cura?

Fique tranquila, pois, a infecção vaginal tem cura sim, mas, não é você que vai se automedicar!

Ninguém melhor do que sua ginecologista para passar o tratamento necessário de acordo com o que você precisa.

Ginecologista explicando sobre o órgão sexual feminino e infecção vaginal para a paciente

Uma vez que você toma um remédio somente por “achismo”, seu corpo pode começar a criar uma resistência sobre aquele remédio e parar de reagir contra essas bactérias causadoras da infecção.

Como resultado, se sua infecção não for tratada de forma certa, ela pode evoluir e gerar complicações no útero, por exemplo.

10 dicas ótimas de como evitar uma infecção vaginal

Para que você não precise passar por isso e manter a saúde da sua vulva e sua vagina em dia, confira essas dicas para prevenir possíveis infecções:

  1. Beba bastante água ao longo do dia (limpa o corpo e ajuda a reforçar seu sistema imunológico)
  2. Evite o consumo excessivo de álcool, açúcar e alimentos gordurosos
  3. Dê preferência para o consumo de frutas, legumes e verduras
  4. Utilize roupas íntimas de algodão e menos apertadas
  5. Evite o uso em excesso de duchas íntimas
  6. Mantenha a região íntima sempre limpa e seca (ao usar a piscina, evite ficar com biquíni molhado por muito tempo)
  7. Use sempre preservativos durante a relação sexual
  8. Evite segurar o xixi
  9. Faça xixi após o sexo
  10. Se você gosta de tratamentos com ginecologia natural, produtos como óleo de coco, óleo essencial de melaleuca (duas gotas apenas), babosa (aloe vera), banho de assento com camomila podem ser ótimas opções quando orientadas por uma profissional.

Um profissional é a melhor solução para tratar infecção vaginal

Sendo assim, não deixe de fazer seus exames de rotina e praticar os hábitos diários citados acima.

Além disso, sempre que sentir os sintomas falados anteriormente, não espere e procure um médico! Cuide de você e do seu corpo, nunca deixe para depois.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Sobre a(o) Autor(a)

Waleviska é empreendedora e proprietária da empresa DSS Distribuidora Sex Shop. Além disso, acredita que quanto mais se fala sobre sexo, mais tabus e dúvidas vão sendo desconstruídos. Pretende ter uma ligação direta com todas as leitoras que queiram entender mais sobre o mundo do prazer.

Você pode gostar também

Outras histórias